Heterônimo – Gustavo Freitas

 

Poema com o título para a glória

os homens

ergueram um circo

em frente à sacada onde escrevo esse poema

e eu me pergunto

quem de nós esta resistindo

de verdade;

foram três ou quatro dias

plaft plaft plaft

as escavadeiras perfuravam

o chão

como as garotas costumam

fazer comigo

plaft plaft plaft

e o circo foi erguido

o picadeiro a lona as bandeiras

o silêncio

como a mais afiada

das obras humanas

ou divinas

como a decadente

retórica

que nos aguarda no inferno

para onde mandamos Deus e a sanidade de Nietzsche

eu escuto o barulho

da plateia

do meu passado

de meu pai

quando deito ha à noite

o barulho da grande guerra

atrás das lonas

– e eu não sei quem de nos esta resistindo

um circo em três ou quatro dias

algo assim

meu pai perfura minha memória

plaft plaft plaft

com sua grande máquina

– e essa guerra não é minha

encontre isso

um homem que luta numa guerra que é sua

como esses homens

e esse circo

e suas escavadeiras

e suas cervejas suas gargalhadas suas dívidas sua glória

os gregos, ora, a porra dos gregos

ergueram a democracia

e nós tombamos

Deus ergueu um Deus

e nós tombamos

nada tomba esse circo

plaft plaft plaft

ele é uma fortaleza

em meio ao vento ao sentido

ao homem

e sua plateia aplaude

sua plateia apodrece

sua plateia volta pra casa

plaft plaft plaft

em seus sonhos

plaft plaft plaft

em seus olhos

ate que a glória ensurdecedora

da grande escavadeira

cale o homem

o significado de sua poeira

ou de sua loucura

e ele então erguerá o próximo circo

em 3 ou 4 dias

numa guerra que é sua

Deus precisou de 7

numa que não era dele

Goethe, 60 anos

meu pai, a vida inteira

e se algum deles o fez em busca da glória

eu peço que esses homens

tenham piedade

de mim.

Advertisements

6 thoughts on “Heterônimo – Gustavo Freitas

    • Grato por teu comentário, meu velho 🙂 Eu, particularmente, consumo em excesso autores de nossa língua. Herberto Helder, Matilde Campilho, Pessoa, Valter Hugo, Sá Carneiro, Mia Couto, etc. Pela diversidade de matrizes poéticas em meus heterônimos, acho necessário ter um repertório bom, e português. Valter Hugo é um escritor que me agrada muito. Fiquei muito feliz com tua linkagem. Grande abraço! 🙂

      Liked by 1 person

      • Pelos seus textos percebi isso. A literatura em língua portuguesa é mesmo maravilhosa. Parabéns pelos textos e heteronomios. Abraço!

        Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s